OMNICONDRO 20 MG 60 CP

44.55

Quantidade:

Categorias: ,

Descrição

OMNICONDRO 20 MG 60 CP

OMNICONDRO PARA PROTEÇÃO DAS ARTICULAÇÕES

OMNICONDRO É UM ALIMENTO COMPLEMENTAR PARA CÃES E GATOS PARA PROTEÇÃO DAS ARTICULAÇÕES

Quais as situações em que Omnicondro está indicado?

A administração de Omnicondro está indicada em todo o tipo de degenerescências articulares ou artroses, em animais com desgaste articular devido a exercício intenso, excesso de peso ou idade avançada, e em problemas articulares após traumatismos.

Omnicondro poderá ser usado sempre que o animal seja sujeito a cirurgias com intervenção articular.

Preventivamente, está indicado em situações em que uma ou mais articulações necessitem de imobilização, durante e após a imobilização, até recuperação total da mobilidade da articulação.

Preventivamente, Omnicondro pode ser utilizado durante a fase de crescimento de cães cuja velocidade de crescimento, peso ou predisposição genética representa um risco acrescido de doenças articulares.

Qual a doença articular mais frequente e em que animais se manifesta normalmente?

A displasia da anca é sem dúvida a doença articular mais frequente, manifestando-se através de dor e claudicação (coxeira) nos membros posteriores alguns meses ou mesmo anos após o processo degenerativo se ter iniciado. Qualquer cão pode ter displasia da anca. No entanto, as raças grandes e algumas médias estão especialmente predispostas. As raças em que mais frequentemente se diagnostica displasia da anca são o Pastor Alemão, o Labrador Retriever, o São Bernardo, o Gran Danois, o Collie e todas as raças de mastins.

O que é a Displasia da anca?

A articulação da anca:

São 3 ossos que formam a bacia do cão: o Ílio, o Ísquio, e o Púbis. Fundem-se inteiramente por volta dos 6 meses, formando a Bacia que possui uma cavidade côncava, denominada Acetábulo, onde se vai articular o topo do osso da coxa, o Fémur. O topo do Fémur em forma de semiesfera, que articula com a Anca, denomina-se Cabeça do Fémur. Numa articulação da anca saudável e forte, os ossos envolvidos  (bacia e fémur) deslocam-se um sobre o outro com facilidade e sem provocar dor. Isto significa que a superfície dos 2 ossos articulados é coberta por cartilagem articular lisa, que estão ambos banhados por líquido sinovial (que lubrifica e facilita o contacto e os movimentos entre os dois ossos), e que o topo esférico da Cabeça do Fémur se encontra encaixada em profundidade no Acetábulo.

A displasia da anca:

A Displasia da Anca é uma doença do desenvolvimento da Articulação da Anca, que consiste numa série de alterações na articulação que levam à sua isntabilidade e fraqueza/lassidão.

Na Displasia da Anca há instabilidade e fraqueza na articulação porque o Acetábulo – onde a Cabeça do Fémur se deveria deslocar com facilidade está menos profunda, e/ou porque a cabeça do Fémur está menos redonda e mais aplanada. Isto permite por vezes um certo grau de saída da Cabeça do Fémur do local onde deveria estar bem inserida no Acetábulo, processo que se denomina Sub-luxação. Pode ocorrer Luxação completa, em que ocorra a saída total da Cabeça do Fémur. Com os movimentos do animal, a constante saída e entrada da Cabeça do Fémur do local onde deveria permanecer sempre bem encaixada faz com que se desenvolva inflamação da articulação (Artrite) e remodelação dos ossos envolvidos (Esclerose), com formação de irregularidades nas superfícies articulares da Cabeça do Fémur e do Acetábulo. Os movimentos tornam-se dolorosos, e o animal coxeia. A este processo denomina-se Osteoartrose ou Doença Degenerativa Articular. A Displasia da Anca está então em grau avançado.

Qual a posologia e modo de emprego de Omnicondro?

  • Admnistrar 1 comprimido de Omnicondro 10 por cada 20 kg de peso vivo, por dia.

Na prevenção da displasia da anca em cachorros, administrar durante todo o período de crescimento, ajustando a dose com o aumento de peso.

No tratamento de patologias articulares deverá administrar diariamente a dose acima indicada pelo menos durante 2 meses. No final dos 2 meses, pode tentar reduzir esta dose para metade, e 15 dias depois reduzir de novo e depois retirar se não existirem recaídas. Em caso de agravamento dos sintomas, retomar a última dose efetiva.

No tratamento de casos articulares agudos pode iniciar-se com o dobro da dose, e continuar depois como indicado para patologias articulares.